Homeopatia na ajuda ao parto

Quando em Portugal se começa a falar na necessidade de voltar ao parto natural, procurando evitar o mais possível a cesariana, defendendo os efeitos benéficos que este apresenta para a mãe e para o bebé, ajudar a futura mãe a fazê-lo de forma controlada e segura é um objetivo fundamental. Assim, é também neste campo que a Homeopatia pode ser preciosa, tanto na preparação do trabalho de parto como no pós-parto.

Vários países europeus usam protocolos homeopáticos para o parto. Em Portugal, esse uso é ainda tímido e de natureza muito particular, essencialmente praticado a gestantes que se façam acompanhar por profissionais de saúde com conhecimentos de Medicina Homeopática.

Refira-se, que os medicamentos homeopáticos podem ser usados sem qualquer contraindicação para a mãe e para o bebé. Têm na sua origem substâncias naturais, sujeitas a um processo que passa por várias diluições e dinamizações sucessivas, não apresentando qualquer grau de toxicidade.
Estes medicamentos além de acelerar o tempo de expulsão do bebé, por serem facilitadores da dilatação, também podem ser escolhidos para atuar no estado ansioso, tão comum nestas situações.

É nossa opinião que o homeopata que tem acompanhado a grávida deva fazer parte da equipa de profissionais que a vão assistir ao trabalho de parto e os medicamentos devem ser prescritos em função dos sintomas que o paciente relata, paralelamente com a leitura e monitorização cardio fetal do obstetra. Assim, a medicação homeopática surge sempre em resposta a uma situação da parturiente de natureza física ou psicológica num trabalho interativo da equipa clínica.

Embora saibamos, que a prescrição homeopática é uma questão individual apresentamos de forma esquemática um protocolo básico para o parto, que é transversal na generalidade dos casos:

Conhecer estes medicamentos segundo a sintomatologia e a modalidade:
Arnica Montana – sensação de contusões com dores, que melhoram pelo toque e propriedades hemostáticas.
Gelsemium – rigidez do colo uterino e grande emotividade associada a medo.
Actea Racemosa – dores irregulares que irradiam para as ancas e lombares, sentimentos de angústia e irritabilidade, tendência a cobrir-se.
Caulophyllum – harmonizador das contrações uterinas, facilitador de dilatação do colo uterino.
China – astenia devida a grande perda de sangue.
Staphysagria – quando há intervenções com corte de tecido (episiotomia), facilita a cicatrização.
Sepia – depressão, sensação de estar abandonado, não quer ser consolado.

O conhecimento da Matéria Médica ajudará na aplicação de outros medicamentos homeopáticos de acordo com a individualidade e a sintomatologia do paciente.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *